sexta-feira, janeiro 18, 2008

Like a Leper Messiah

me abrace mendigo!
toma um cigarro, pobre diabo!
me envolva leprosa!
você cheira como banheiro feminino
em dia de menstruação
e essas pintas brancas em sua pele
será que serão minhas, em minha pele?

lepra no braço
lepra na coxa
sou coxo
deitado no colchão
pensando no coxão
abraçado à colcha
pisando em conchas
pensando em coisas
dessa lepra cerebral

o abraço da leprosa
me fez imundo
por sete anos
não, pela vida toda
lepra cerebral
que caiam um por um
meus pensamentos
sobre o chão empoeirado
dessa Jerusalém de ninguém
até que o messias me diga
"vai-te em paz, estás limpo"

onde está o seu messias?

Um comentário:

Camilla disse...

FRanguinho, lindo esse poema
pq vc toca o meu coração com essa mãe de leproso ?
bjus e te amo ♥